sexta-feira, 18 de março de 2011

História dos Bairros do Rio de Janeiro - Cidade de Deus

Dando prosseguimento ao histórico dos bairros do Rio de Janeiro, falarei hoje sobre a Cidade de Deus.

A região onde hoje se localiza o bairro pertenceu à Grande Sesmaria de Martim de Sá, que se estendia do arroio Pavuna até o Maciço da Tijuca, cuja principal construção era o Engenho d’Água. Nas suas imediações se encontravam as estradas do Gabinal, do Capão (atual Ten. Cel. Muniz de Aragão) e da Banca da Velha (atual Edgar Werneck). Posteriormente, a área foi ocupada por sítios e fazendas onde eram cultivados cana-de-açúcar e café, principalmente.

Cidade de Deus
Na década de 1960, com a transformação do Distrito Federal em Estado da Guanabara, o Governador Carlos Lacerda implementou uma política de remoção das favelas situadas na zona sul da cidade do Rio de Janeiro, no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, além de algumas outras. Para isso, autorizou a construção de um grande conjunto habitacional na baixada de Jacarepaguá. Surgiu assim a Cidade de Deus.

Construída pela COHAB e financiada pelo BNH, a construção da Cidade de Deus terminou após o governo Negrão de Lima. Seus projetos foram executados em 1968: o primeiro, com área total de 253.810 m², limitado entre a Av. Ezequiel, a Rua Moisés e Rua Edgar Werneck; o segundo, com área total de 36.343 m², constando de 159 lotes e oito ruas, entre a Estrada da Estiva (atual Mal. Miguel Salazar Mendes de Morais) e a Av. do Rio Grande; e o terceiro, abrangendo a maior área, com mais de 120 logradouros, incluindo ruas, travessas e praças, todas batizadas com nomes bíblicos, pelo Decreto de 30 de março de 1970.

Cidade de Deus
Os moradores transferidos para a Cidade de Deus provinham de 63 diferentes favelas, sendo que aproximadamente 70% dessa população era oriunda de apenas seis favelas: Praia do Pinto, Parque da Gávea, Ilha das Dragas, Parque do Leblon, Catacumba e Rocinha. A Cidade de Deus hoje agrupa uma população de operários de vários setores industriais, prestadores de serviços não-especializados, pessoas dedicadas a atividades comerciais, de natureza administrativa e profissionais liberais. Alguns anos depois de sua inauguração, o que antes eram áreas exclusivamente residenciais, tomou a feição de pequenos centros comerciais em plena expansão, observando-se em quase todas as quadras os mais diversos estabelecimentos.

Atravessada pelo rio Grande, a Cidade de Deus passou a ter um crescimento interno desordenado, observando-se um processo de favelização ao longo dos canais. Junto ao conjunto surgiram as comunidades do Muquiço, Santa Efigênia, Travessa Efraim, Rocinha II e Jardim do Amanhã II, além de novos conjuntos habitacionais como o Vila Nova Cruzada e o Jardim do Amanhã. Em 1997, com a inauguração da “Linha Amarela”, a Cidade de Deus seria dividida: de um lado os Conjuntos Margarida, Gabinal, etc. e, do outro, o restante das antigas glebas, sendo as duas partes interligadas por passarelas.

Bairro anterior: Cavalcanti

Referência: Portal Geo Rio
Segunda foto: www.citynet.com.br/rio/Colina2.htm / Isnard Martins

2 Comentário(s)::

Bao Ritcho disse...

bisonho ¬¬

cevugown disse...

Thanks for your share! very impressive!

nolvadex