quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Bandeira do Vaticano

No dia 22 de outubro comemora-se o Dia da Cidade-Estado do Vaticano, sendo esta, como em outras ocasiões neste blog, a melhor oportunidade para falar um pouco mais sobre a bandeira do Vaticano e sua história.

A bandeira tem os quadro lados iguais e é dividida verticalmente em duas partes iguais, sendo o lado esquerdo da cor amarela e o lado direito da cor branca. No centro da metade branca há duas chaves cruzadas entre si, que são as chamadas Chaves de São Pedro – que simbolizam o poder que foi dado a São Pedro de adotar ou revogar decisões – e a mitra papal. Além disso, na antigüidade, este tipo de chave era entregue ao Pontífice quando este assumia a sede de Roma.

Bandeira do Vaticano
De acordo com um artigo publicado no L'Osservatore Romano, se precisa como foi que o Papa Pio VII, desde 1808, estabeleceu que as cores do Vaticano fossem o branco e o amarelo. Quando da invasão francesa pelas tropas napoleônicas naquele ano, o Papa, para não confundir os soldados romanos que estavam sob o comando francês, com os poucos que ficaram a seu serviço, ordenou a nova insígnia amarela e branca. Adotaram-na logo os guardas nobres e os suíços. Em 16 de março de 1808, Pio VII comunicou por escrito tal disposição ao Corpo Diplomático e o respectivo documento se considera como a “ata de nascimento” das cores da atual bandeira do Vaticano.

Em heráldica, amarelo e branco normalmente representam os metais ouro e prata, respectivamente, e que não são colocados lado a lado. Exceção especial é feita aqui porque ouro e prata também representam as referidas chaves de São Pedro, que foi o primeiro Papa da Igreja Católica. Esta bandeira foi introduzida em 1825 mas somente foi oficialmente adotada em 8 de junho de 1929, após a independência conquistada da Itália em 11 de fevereiro do mesmo ano.


Bandeira anterior: Bielorrússia

Referência: WorldFlags101 e Paróquia São Paulo Apóstolo

1 Comentário(s)::

Bao Ritcho disse...

É né! Fazer o quê?