sexta-feira, 1 de junho de 2012

Carnot

No dia 1º de junho de 1796, há exatamente 216 anos, nascia em Paris Nicolas Carnot, importante físico, matemático e engenheiro francês que forneceu o primeiro modelo teórico de sucesso sobre as máquinas térmicas, o chamado “Ciclo de Carnot”, e apresentou os fundamentos da segunda lei da termodinâmica.

Em 1824 Carnot publicou “Reflexões sobre Potência Motriz do Fogo e Máquinas Próprias para Aumentar essa Potência” (“Réflexions sur la Puissance Motrice du Feu et sur les Machines Propres a Développer Cette Puissance”, no original), na qual ele faz uma revisão da importância industrial, política e econômica da máquina a vapor. Vale ressaltar que esta foi a sua única publicação em vida.

Carnot

O engenheiro francês iniciou sua investigação sobre as propriedades dos gases, em especial a relação entre pressão e temperatura, em 1831. Em 1832, após falecer prematura e subitamente de cólera, quase todos os seus pertences foram incinerados, como era de costume da época. Apesar disso, parte de suas anotações escapou à destruição. Essas anotações mostram que Carnot havia chegado à ideia de que, essencialmente, calor era trabalho, cuja forma fora alterada. Por essa conclusão ele é considerado o fundador da Termodinâmica – ciência que afirma ser impossível a energia desaparecer, havendo apenas a possibilidade de a energia se alterar de uma forma para outra.

A possibilidade de interconversão entre calor e trabalho possui restrições para as chamadas máquinas térmicas. O Segundo Princípio da Termodinâmica, elaborado em 1824 por Carnot, é enunciado da seguinte forma:

“Para haver conversão contínua de calor em trabalho, um sistema deve realizar ciclos entre fontes quentes e frias, continuamente. Em cada ciclo é retirada uma certa quantidade de calor da fonte quente (energia útil), que é parcialmente convertida em trabalho, sendo o restante rejeitado para a fonte fria (energia dissipada)”.

Referência: Wikipedia

1 Comentário(s)::

Bao Ritcho disse...

~ @ _ @ ~