quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Malthus

No dia 23 de dezembro de 1834, há exatos 175 anos, falecia Thomas Malthus, um dos maiores e mais conhecidos economistas da história. Nascido na Inglaterra em 1766, Malthus era filho de um rico proprietário de terras que, por sua vez, era amigo de David Hume e Jean-Jacques Rousseau.

Thomas MalthusThomas Malthus era também demógrafo e ficou conhecido, sobretudo, pela teoria segundo a qual o crescimento da população tende sempre a superar a produção de alimentos, o que torna necessário o controle da natalidade. Tornou-se sacerdote da Igreja Anglicana em 1797 e, no ano seguinte, publicou anonimamente seu “Ensaio Sobre a População”, no qual afirma que a população cresce em progressão geométrica, enquanto a produção de alimentos aumenta em progressão aritmética.

Malthus apresentou uma crítica ao utopismo, onde há uma vasta elaboração de dados materiais. Ele estudou possibilidades de restringir esse crescimento e, segundo ele, esse crescimento populacional é limitado pelo aumento da mortalidade e por todas as restrições ao nascimento, decorrentes da miséria e do vício. A solução para evitar epidemias, guerras e outras catástrofes provocadas pelo excesso de população, consistiria, segundo ele, na restrição dos programas assistenciais públicos de caráter caritativo e na abstinência sexual dos membros das camadas menos favorecidas da sociedade.

Teoria de Malthus
Malthus era, de certa forma, um pessimista que considerava a pobreza como um destino do qual o homem não pode fugir. Sua obra foi ao mesmo tempo criticada e aplaudida. Enquanto alguns setores da sociedade o acusavam de ser cruel, indiferente e até mesmo imoral, economistas de renome apoiavam suas teorias. Na segunda edição da supracitada obra, conhecida como “Segundo Ensaio”, de 1803, Malthus modificou algumas teses mais radicais da primeira edição. Com o tempo, o "malthusianismo" foi incorporado à teoria econômica, atuando como freio de teses mais otimistas. Na segunda metade do século XX, os problemas demográficos mundiais revitalizaram as concepções de Malthus, embora a agricultura intensiva tenha permitido aumentos de produção muito maiores do que os previstos por ele.

Suas obras exerceram influência em vários campos do pensamento e forneceram a chave para as teorias evolucionistas de Darwin e Wallace. Os economistas clássicos, como David Ricardo, incorporaram o princípio da população às suas teorias, supondo que a oferta de força de trabalho era interminável, sendo limitada apenas pelo fundo de salários.

Para Malthus, assim como para seus discípulos, qualquer melhoria no padrão de vida de grande massa é temporária, pois ela ocasiona um inevitável aumento de população, que acaba impedindo qualquer possibilidade de melhoria. Foi um dos primeiros pesquisadores a tentar analisar dados demográficos e econômicos para justificar sua previsão de incompatibilidade entre o crescimento demográfico e a disponibilidade de recursos.

Referências: EconomiaNet e Wikipedia

1 Comentário(s)::

Vinícius Franco disse...

Ele podia ser pessimista, mas essas teorias dele até que faziam um certo sentido ne ow
Foi algo significante